Jul 19, 2019

"O Rei Leão" rugiu pela primeira vez há 25 anos e regressa hoje ao cinema com nova vida

Tudo começou em 1988, ainda antes da estreia do filme "A Pequena Sereia" e "A Bela e o Monstro", cujo sucesso esmagador daria o pontapé de saída à nova idade de ouro do cinema de animação norte-americana. A ideia de fazer um filme em África surgiu durante a promoção na Europa de "Oliver e os seus Companheiros", cujo realizador George Scribner seria o responsável pelo projeto.

<

A primeira versão do argumento tinha por título "King of the Calahari", mudando depois com a chegada de outros argumentistas, para "King of the Beasts", entre outros. Nesta altura, o confronto fazia-se entre leões e babuínos, com Simba como um leão preguiçoso e Scar como líder dos babuínos que quer que Simba nunca chegue a ser rei.

A ideia era fazer um filme em registo documental, como por exemplo, o filme "Bambi" ou os documentários da "National Geaografic", mas não funcionou, o que levou a um atraso e o desenvolvimento do mesmo prolongou-se sem destino definido.

Posto isto, Roger Allers, o principal argumentista do filme "A Bela e o Monstro", juntou-se a Scribner como realizador, e este último acabou por deixar o projeto quando decidiu mudar de rumo e tornar o filme num musical, sendo substituído por Rob Minkoff. A esta equipa juntou-se como produtor Don Hahn, que fora produtor associado do Filme "Quem Tramou Roger Rabbit". Juntamente com outros produtores, argumentistas, entre outros, a equipa redefiniu completamente o argumento para a sua forma final: o tema era o Simba deixar a infância para trás e assumir as responsabilidades da idade adulta, Scar passara a ser o seu tio, o titulo mudaria para "O Rei Leão" e a inspiração a vir diretamente do "Hamlet", de William Shakespeare.

Em Junho de 1994 "O Rei Leão" chegou às salas de cinema, onde se tornou um grande sucesso, sendo não só por ser um desenho animado, mas também, por ser o segundo maior sucesso de bilheteira de sempre, a seguir ao filme "Parque Jurássico", estreado um ano antes. Nas bilheteiras faturaram mais de 750 milhões de dólares, só em merchandising, entre outras coisa.

"O Rei Leão" tornou-se então numa das jóias da coroa da Disney, com duas sequelas lançadas diretamente em vídeo, duas séries televisivas (uma delas focada em Timon e Pumba), uma reposição em IMAX e um novo regresso às salas de cinema em 2011 com uma conversão ao novo formato de três dimensões.

Agora, 25 anos depois da estreia, "O Rei Leão" está de volta às salas de cinema, mas em animação foto-realista, num filma realizado por Jon Favreau, que já tinha conseguido muito bons resultados com o filme "O Livro da Selva".