Set 14, 2018

Prémio Nobel de Economia: 1969 - Presente

A economia não constava na lista original de prémios prevista por Alfred Nobel. Em 1968, o banco central da Suécia, o Sveriges Riksbank, doou dinheiro à Fundação Nobel para estender um prémio a economistas. Em 1969, o primeiro Prémio Sveriges Riksbank em Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel foi concedido de acordo com os mesmos critérios utilizados para os prémios originais.

 Aqui estão os vencedores de 1969 até hoje:

2018: William D. Nordhaus, da Universidade de Yale, e Paul M. Romer, da Universidade de Nova York, receberam o prémio Sveriges Riksbank em Ciências Econômicas, de acordo com um comunicado da Fundação do Prémio Nobel. Ambos os economistas analisaram análises macroeconômicas de longo prazo, ou "projeções de crescimento económico", como o The Wall Street Journal explicou . A Nordhaus recebeu o prémio de "integração da mudança climática" nessas projeções, enquanto Romer foi premiada por "integrar inovações tecnológicas" nas projeções de crescimento económico.

2017: Richard H. Thaler, da Universidade de Chicago, Illinois, "pelas suas contribuições à economia comportamental", de acordo com um comunicado da Real Academia Sueca de Ciências. Thaler integrou o comportamento humano e a psicologia ao estudo da tomada de decisões económicas. Segundo a Academia, "explorando as consequências da racionalidade limitada, das preferências sociais e da falta de auto-controlo, ele mostrou como esses traços humanos afectam sistematicamente as decisões individuais, bem como os resultados do mercado". 

2016: em conjunto com Oliver Hart e Bengt Holmström "pelas suas contribuições à teoria do contrato", segundo um comunicado da Fundação Nobel .

2015: Angus Deaton "pela sua análise do consumo, pobreza e bem-estar", de acordo com uma declaração de 2015 da Fundação Nobel . 

2014 : Jean Tirole "pela sua análise do poder de mercado e regulação".

2013 : Eugene F. Fama, Lars Peter Hansen e Robert J. Shiller, "pela análise empírica dos preços dos activos".

2012 : Alvin E. Roth e Lloyd S. Shapley "pela teoria das alocações estáveis ​​e pela prática do design de mercado".

2011 : Thomas J. Sargent, Christopher A. Sims, "pela pesquisa empírica sobre causa e efeito na macroeconomia".

2010 : Peter A. Diamond, Dale T. Mortensen e Christopher A. Pissarides, "pela análise de mercados com atritos de pesquisa".

2009 : Elinor Ostrom, "pela sua análise da governança económica, especialmente os comuns", e Oliver E. Williamson, "pela sua análise da governança económica, especialmente os limites da firma".

2008 : Paul Krugman, "pela sua análise dos padrões de comércio e localização da actividade económica".

2007 : Leonid Hurwicz, Eric S. Maskin e Roger B. Myerson, "por terem lançado as bases da teoria do design de mecanismos".

2006 : Edmund S. Phelps, "pela sua análise de compensações inter-temporais na política macroeconómica".

2005 : Robert J. Aumann e Thomas C. Schelling, "por ter melhorado a nossa compreensão do conflito e da cooperação através da análise da teoria dos jogos".

2004 : Finn E. Kydland e Edward C. Prescott, "pelas suas contribuições para a macroeconomia dinâmica: a consistência temporal da política económica e as forças motrizes por trás dos ciclos económicos".

2003 : Robert F. Engle III, por "métodos de análise de séries temporais económicas com volatilidade variável no tempo (ARCH)", e Clive WJ Granger, "por métodos de análise de séries temporais económicas com tendências comuns (cointegração)."

2002 : Daniel Kahneman, "por ter integrado insights da pesquisa psicológica na ciência económica, especialmente em relação ao julgamento humano e tomada de decisão sob incerteza", e Vernon L. Smith, "por ter estabelecido experiências de laboratório como uma ferramenta na análise económica empírica, especialmente no estudo de mecanismos alternativos de mercado ".

2001 : George A. Akerlof, A. Michael Spence e Joseph E. Stiglitz, "pelas suas análises de mercados com informação assimétrica".

2000 : James J. Heckman, "pelo seu desenvolvimento de teoria e métodos para analisar amostras seletivas", e Daniel L. McFadden, "pelo seu desenvolvimento de teoria e métodos para analisar a escolha discreta".

1999 : Robert A. Mundell, "pela sua análise da política monetária e fiscal sob diferentes regimes cambiais e a sua análise das áreas monetárias óptimas".

1998 : Amartya Sen, "pelas suas contribuições para a economia do bem-estar".

1997 : Robert C. Merton e Myron S. Scholes, "por um novo método para determinar o valor dos derivativos".

1996 : James A. Mirrlees e William Vickrey, "pelas suas contribuições fundamentais para a teoria económica de incentivos sob informação assimétrica".

1995 : Robert E. Lucas Jr., "por ter desenvolvido e aplicado a hipótese das expectativas racionais, e assim ter transformado a análise macroeconómica e aprofundado a nossa compreensão da política económica".

1994 : John C. Harsanyi, John F. Nash Jr. e Reinhard Selten, "pela sua análise pioneira dos equilíbrios na teoria dos jogos não cooperativos".

1993 : Robert W. Fogel e Douglass C. North, "por terem renovado a pesquisa em história económica, aplicando a teoria económica e métodos quantitativos, a fim de explicar a mudança económica e institucional".

1992 : Gary S. Becker, "por ter ampliado o domínio da análise microeconómica para uma ampla gama de comportamentos e interacções humanas, incluindo o comportamento não mercantil".

1991 : Ronald H. Coase, "pela sua descoberta e esclarecimento da importância dos custos de transação e dos direitos de propriedade para a estrutura institucional e o funcionamento da economia".

1990 : Harry M. Markowitz, Merton H. Miller e William F. Sharpe, "pelo seu trabalho pioneiro na teoria da economia financeira".

1989 : Trygve Haavelmo, "pela sua elucidação dos fundamentos da teoria da probabilidade da econometria e as suas análises das estruturas económicas simultâneas".

1988 : Maurice Allais, "pelas suas contribuições pioneiras à teoria dos mercados e utilização eficiente de recursos".

1987 : Robert M. Solow, "pelas suas contribuições à teoria do crescimento económico".

1986 : James M. Buchanan Jr., "pelo desenvolvimento das bases contratuais e constitucionais da teoria da tomada de decisões económicas e políticas".

1985 : Franco Modigliani, "pelas suas análises pioneiras de poupança e de mercados financeiros".

1984 : Richard Stone, "por ter feito contribuições fundamentais para o desenvolvimento de sistemas de contas nacionais e, portanto, melhorou muito a base para a análise económica empírica".

1983 : Gerard Debreu, "por ter incorporado novos métodos analíticos na teoria económica e pela sua rigorosa reformulação da teoria do equilíbrio geral".

1982 : George J. Stigler, "pelos seus estudos seminais sobre estruturas industriais, funcionamento dos mercados e causas e efeitos da regulação pública".

1981 : James Tobin, "pela sua análise dos mercados financeiros e suas relações com decisões de gastos, emprego, produção e preços".

1980 : Lawrence R. Klein, "para a criação de modelos econométricos e a aplicação para a análise das flutuações económicas e políticas económicas"

1979 : Theodore W. Schultz e Sir Arthur Lewis, "pela sua pesquisa pioneira de desenvolvimento económico, com especial consideração dos problemas dos países em desenvolvimento"

1978 : Herbert A. Simon, "pela sua pesquisa pioneira sobre o processo de tomada de decisão dentro de organizações económicas".

1977 : Bertil Ohlin e James E. Meade, "pela sua contribuição pioneira à teoria do comércio internacional e movimentos internacionais de capital".

1976 : Milton Friedman, "pelas suas conquistas nas áreas de análise de consumo, história e teoria monetária e pela sua demonstração da complexidade da política de estabilização".

1975 : Leonid Vitaliyevich Kantorovich e Tjalling C. Koopmans, "pelas suas contribuições à teoria da alocação óptima de recursos".

1974 : Gunnar Myrdal e Friedrich August von Hayek, pelo seu trabalho pioneiro na teoria do dinheiro e flutuações económicas e pela sua penetrante análise da interdependência dos fenómenos económicos, sociais e institucionais".

1973 : Wassily Leontief, "pelo desenvolvimento do método de insumo-produto e pela sua aplicação a importantes problemas económicos".

1972 : John R. Hicks e Kenneth J. Arrow, "pelas suas contribuições pioneiras à teoria do equilíbrio económico geral e à teoria do bem-estar".

1971 : Simon Kuznets, "pela sua interpretação empírica do crescimento económico que levou a novas e aprofundadas percepções sobre a estrutura económica e social e o processo de desenvolvimento".

1970 : Paul A. Samuelson, "pelo trabalho científico através do qual ele desenvolveu a teoria económica estática e dinâmica e activamente contribuiu para elevar o nível de análise na ciência económica".

1969 : Ragnar Frisch e Jan Tinbergen, "por terem desenvolvido e aplicado modelos dinâmicos para a análise de processos económicos".