Ago 3, 2018

O gelo marinho mais forte do Ártico desfaz-se pela primeira vez, segundo registos

Águas geralmente congeladas abrem duas vezes este ano num fenómeno que os cientistas descreveram como assustador

<

O gelo marinho mais antigo e mais denso do Ártico começou a romper, abrindo as águas ao norte da Gronelândia, que são normalmente congeladas, mesmo no verão.

Este fenómeno - que nunca foi registado antes - ocorreu duas vezes este ano devido aos ventos quentes e a uma mudança climática, impulsionado pela onda de calor no hemisfério norte.

Um meteorologista descreveu a perda de gelo como "assustadora". Outros disseram que isto poderia forçar os cientistas a rever as suas teorias sobre qual parte do Ártico resistirá ao aquecimento mais longo.

O mar ao largo da costa norte da Gronelândia é normalmente tão congelado que foi referido, até recentemente, como "a última área de gelo", porque se supunha que este seria o último refúgio do norte contra os efeitos de derretimento de um planeta mais quente.

Mas, picos de temperatura anormais em Fevereiro e no início deste mês deixaram-no vulnerável a ventos, que empurraram o gelo para mais longe da costa do que em qualquer outro momento, desde que os registos de satélite começaram na década de 1970.