Luxury & Fashion

Fev 1, 2017

A ARTE RENASCENTISTA DA JOALHARIA RUSSA

Engenhosos artesãos russos do passado deixaram sua pegada brilhante na história da arte da joalharia. Com a ascensão da arte joalheira russa no século XIX, a glória da C. Faberge, Khlebnikov I., P. Ovtchinnikov, M. Perkhin, I. Sazikov, D. Tchitchelev atordoou o mundo. Hoje em dia, em que a busca da identidade nacional é muito tópica para a sociedade, o apoio para a arte da joalharia russa acaba por ser um objectivo importante para a criação de valores eternos.

<

Em 1851, em Londres, onde ocorreu a primeira exposição mundo, participaram 365 joalheiros russos. Foram galardoados com 130 prémios, incluindo três de excelência. A originalidade e virtuosismo do domínio de uma vasta gama de técnicas de joalharia, o maior conhecimento, o desenho, a expressividade do estilo e qualidade insuperável dos joalheiros os russos tinham conquistado o mundo.

Na exposição mundial de 1862, também em Londres, as jóias de ouro com diamantes, pérolas, pedras preciosas, esmaltes, da autoria do brilhante joalheiro Tchitchelev D. foram altamente apreciadas. Os especialistas não esperavam ver da Rússia, a combinação entre um notável artesão com o talento de um grande fabricante.

Para a exposição de 1867, em Paris, participaram 1414 artesãos russos. A coleção de peças magníficas de I. Sazikov teve um tremendo sucesso.

Em 1873, em Viena, os peritos confirmaram a autoridade internacional dos artesãos russos D. Tchitchlev, P. Ovtchinnikov e D. Tchitchelev, que se tornaram joalheiros da corte do rei italiano Victor Emmanuel. Pela primeira vez foi atribuído o reconhecimento mundial à companhia de Khlebnikov I.; as suas obras evocavam a "seriedade" dos profissionais, tendo ganho duas medalhas. As peças de estilo russo, exibidas pela empresa, surpreendeu os especialistas estrangeiros pela "sofisticação e originalidade". O rei da Itália adquiriu quatro peças, incluindo "um basked coberto por um guardanapo, tão sofisticadamente trabalhada que o guardanapo parecia ser feito de pano, e não de metal".

Especialmente admiradas pelo público foram as peças preciosas exibidas na exposição de Filadélfia de 1876, que, apesar de seus altos preços, "rapidamente esgotaram".

Nos anos 1880, a Rússia tornou-se um dos líderes mundiais no fabrico de joias. Os peritos, orgulhosamente, escreveriam: "há sectores da indústria transformadora onde nós, russos, são incopiáveis por qualquer outra nação europeia; os setores criados por nós, desenvolvidos e aperfeiçoados em terras russas e tendo a marca do país que os criou, são absolutamente impossíveis de ser copiados pelos estrangeiros."

As exposições mundiais conferiam aos fabricantes russos a oportunidade de se familiarizar com a arte de outros países, ampliar as suas perspectivas artísticas, dominar seu uso, contribuir para o desenvolvimento de cultura e de fabrico nacional e fortalecer o prestígio do país na cena internacional.

Hoje as jóias produzidas na Rússia também têm motivos para se orgulhar. Artesãos, designers e artistas estão a construir uma linha moderna de jóias russas para o século XXI, formando literal e figurativamente um futuro dourado para a nação russa.

Um exemplo da sucessão de gerações pode ser visto a partir de uma das principais empresas joalheiras russas, a companhia de São Petersburgo "Russkiie Samotsvety", Corp. ("gemas russas"). A sua história começa em 1912, quando, por decreto do imperador Nikolay, foi estabelecida a sociedade para apoio e melhoria de corte de diamantes artesanais e artesanato de moagem "Russkiye Samotsvety. A empresa retoma as tradições da joalharia de São Petersburgo e a arte de lapidação do final do XIX – início do século XX, incluindo a empresa internacionalmente reconhecida de Carl Fabergé.

Apesar do facto de, depois da Grande Revolução Socialista de Outubro, e durante duas décadas, praticamente ter parado o fabrico de jóias na URSS, os joalheiros de Leninegrado conseguiram preservar as técnicas originais, o que os ajudou a atravessar a Segunda Guerra Mundial e o cerco de Leninegrado e, já nos primeiros anos após a guerra, através dos esforços de um artista conhecido, Nina Fogt, o fabrico foi novamente reiniciado.

Nina foi seguidora directa e continuadora das tradições de Fabergé, uma vez que trabalhou por alguns anos, antes de 1917, na companhia de Carl Fabergé. Ela era o elo entre os períodos pré e pós-revolucionário. A artista, usou padrões folclóricos russos, ao projectar as peças, utilizando técnicas e tecnologia do estúdio do grande joalheiro.

Hoje em dia, a empresa tem uma rede de lojas de marca, em São Petersburgo e Moscovo, distribui praticamente em todo o território de Federação Russa, trabalha com mais de 500 empresas de comércio em toda a Rússia, e também exporta para outros países. As peças da "Russkiye Samotsvety" têm ganho vários primeiros prémios em diferentes competições especializadas e exposições, e muitas delas são exibidas nos museus do país. Entre os proprietários das peças da empresa encontram-se chefes de Estado de diferentes países, personalidades da cultura, políticos e representantes as artes do espectáculo.

A variedade de peças de ouro e prata da companhia é muito ampla, bem como os estilos, do clássico, ao Art Nouveau e Avant-Garde. A gama básica é representada por jóias com diamantes e esmeraldas, rubis, safiras, pérolas, corais, topázios e ametistas. Mas a "Russkiie Samotsvety" fabrica peças únicas exclusivas, como, caras peças artesanais, peças de decoração de interiores, utensílios de mesa de esmalte-filigrana, talheres e produtos sob medida com pedras preciosas. Jóias em diamante com fixação invisível, são o orgulho da empresa. Esta técnica é de tão difícil execução que poucas empresas no mundo a dominam.

Todas as matérias-primas utilizadas para a criação das jóias são estritamente controladas antes de entrarem no processo de fabrico, assim o produto final não é apenas bonito, mas impecável em termos de qualidade, também. Cada peça em diamante é numerada individualmente, confirmando o controle de qualidade, o que é altamente apreciado pelos clientes.

Hoje a qualidade das peças da "Russkiie Samotsvety", Corp. é considerada pelos profissionais de todo o mundo como uma referência, uma vez que existem não só séculos de tradições da gloriosa escola de joalharia russa, mas também um enorme potencial de fabrico de uma grande e moderna indústria de jóias. As suas peças estão impregnadas com o espírito das tradições antigas de joalheiros russos, as suas jóias exclusivas são verdadeiras obras-primas, conferindo-lhe um lugar de destaque na inscrição do seu nome na história da arte joalheira russa.


Contactos * 8, Carl Faberge sq., 195112, Saint-Petersburg, Russian Federation * jewel@russammarket.ru * www.russammarket.ru

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • PrimarySchool5

    Culture & Art

    Jul 1, 2017

    ARQUITECTURA SUSTENTÁVEL

    Diz-se frequentemente que, depois de ir a África, nunca mais se é o mesmo. É o continente mais genuíno do mundo. É por isso que a sustentabilidade é tão importante.

  • pele

    Helthcare & Wellness

    Mai 16, 2018

    Envelhecendo graciosamente: Aperte sua pele com segurança e eficácia

    A proteção solar é a coisa mais importante que você pode fazer em qualquer idade para manter a pele saudável

  • Chipre1

    Lifestyle & Travel

    Abr 30, 2018

    SONHAR COM O VERÃO

    E se, em 2018, viajasse pelos cinco cantos do mundo? É difícil eleger os locais mais bonitos, mas preparámos uma lista com cinco destinos ricos em história, cultura e paisagens únicas que não vai querer perder!


  • 1

    Lifestyle & Travel

    Out 29, 2018

    AUBERGE CAFÉ DU SUD

    "Os tempos modernos tornaram populares o turismo de aventura em locais exóticos, mas no Sudeste de Marrocos há um pequeno oásis entre as dunas que fará as delícias até mesmo do turista mais ocioso e alheio a aventuras."

    ...

  • dynamiq-gtt-115-porsche-inspired-yacht-1

    Mecanica e Locomoção

    Jul 1, 2017

    ULTRA LUXUOSO

    Tem design da Porsche, mas não se destina às estradas. Tem o conhecimento dos holandeses, mas não serve para cultivar tulipas. Está a ser construído em Itália, mas é uma criação monegasca. Confuso? Em vez disso, deslumbre-se.

    ...

  • p130511

    Home & Design

    Set 10, 2018

    PRECIOSA LIGHTING

    A região da Boémia representa um terço da actual República Checa, na Europa Central. Conhecida pelas suas paisagens românticas e pelos cristais com alto teor de chumbo, muitas outras razões existem para se conhecer o que melhor...


  • 01 Ashlim

    Technology

    Out 1, 2016

    NÃO HÁ RAZÃO PARA TAPAR O SOL

    Embora já existam invenções que nos permitem criar electricidade sustentável para uso próprio, como bicicletas, turbinas de água portáteis que geram energia através de correntes de água, nenhuma delas providencia electricidade...

  • Business & Industry

    Ago 1, 2015

    Real Estate Investments in Turkey

    Turkey is the best link between Europe Asia and Africa, meaning 1,5 billion people and a GDP of USD25 trillion are within reach. 

  • Pontes_Collection_hand_fans

    Culture & Art

    Abr 1, 2016

    Abanos de Cores

    Forma de comunicação, acessório útil, símbolo de luxo, elegância, poder ou arma de sedução, o leque ou abano tem mais de 3000 anos de história durante os quais, o uso e o fabrico muito evoluíram. Embora em desuso na maioria...