Science & Nature

Mai 1, 2017

Outra face da aquicultura

Em 2016 o comércio de algas marinhas obteve um rendimento que ultrapassa, a título de exemplo, toda a produção mundial de limas e limões. A captura de algas duplicou na última década e actualmente já existem autênticas quintas subaquáticas que tentam dinamizar e capitalizar um produto cuja existência a maior parte das vezes tem sido ignorada ou relegada para os restaurantes de sushi, mas que para além dos produtos alimentares tem sido utilizado em produtos farmacêuticos e cosméticos, com uma procura cada vez maior.

<

A verdade é que, à medida que se esgota e estagna a pesca, com um número cada vez maior de espécies piscatórias em risco de extinção, a aquacultura tem vindo a crescer para compensar simultaneamente o desemprego – com a escassez de peixe há cada vez mais pescadores a dedicar-se à criação e apanha de algas – e uma hipotética escassez alimentar, sendo que é muito mais fácil gerir e substituir os produtos retirados das quintas de algas do que tentar aumentar a população das espécies de peixe ameaçadas ou criar essas espécies em cativeiro.

A industria produtora de algas já constitui 49 por cento da produção marítima como um todo, tendo atingido um valor global de 6,4 mil milhões de dólares em 2014, tendo subido para 8 mil milhões em 2016 e estimando-se que atinja a fasquia de 22 mil milhões em 2024. É uma opção rentável, cada vez mais predominante nas economias dos países em vias de desenvolvimento e nas economias emergentes, havendo já estudos da Universidade das Nações Unidas sobre como é possível expandir e transformar esta indústria em algo plenamente sustentável que poderá até beneficiar o meio-ambiente nos já depauperados oceanos do mundo.

Um exemplo de sucesso é a empresa Maine Fresh Sea Farms, em Walpole, nos Estados Unidos, fundada por Seth Barker, Betta Stothart e Peter Fisher. As suas quintas produzem algas marinhas em cordas com um comprimento de 60 a 180 metros, cultivando-as no mar e nos rios como em terra se cultivariam várias fileiras de produtos agrícolas. A empresa tem centrado a sua operação na produção de três tipos distintos de algas, remetendo-as para restaurantes espalhados por todo o território dos Estados Unidos da América.

Além do típico arroz enrolado em algas a que estamos habituados a ver nos restaurantes que servem sushi, as algas são também apropriadas para serem ingeridas em sopas, guisados e até em saladas, com enormes benefícios tanto em termos de sabor como de saúde.

A empresa produz tanto algas frescas como secas, com produção biológica, ou seja, sem quaisquer químicos que lhes alterem as características naturais, uma vez que as algas são consideradas uma "super-comida" graças ao elevado número de micronutrientes que possuem, bem como vitaminas A e C, alto teor de cálcio, proteína e iodo.

A empresa, fundada em 2014, optou for estabelecer as suas quintas em Clark Cove, graças às suas águas pristinas e protegidas. Esta baía beneficia de várias correntes de maré e tem um histórico notável como local de eleição para várias experiências no campo do cultivo da aquicultura, que data já de 1975, altura em que foi criada a primeira quinta de mexilhões. Os seus três proprietários contam com a experiência de carreiras anteriores nos ramos da biologia marinha, da venda de produtos do mar e desenvolvimento de sustentabilidade para garantir que, em conjunto, tenham conseguido levar a bom porto esta aventura, com o objectivo de providenciar a todos os interessados uma fonte de "vegetais marinhos" de alta qualidade.

Desde 2007 que a aquacultura se tornou popular, mas até à data o principal foco produtor tem sido a domesticação de espécies de peixe que se encontram ameaçadas ou em perigo de extinção no meio ambiente. À medida que a população mundial se torna cada vez mais exigente com a qualidade dos alimentos que consome, as algas têm vindo a ocupar uma posição cada vez mais relevante, estando prestes a ultrapassar metade da produção de aquacultura em todo o mundo com benefícios, tanto para os novos "agricultores marinhos" como para os consumidores.

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • RedClay003

    Culture & Art

    Mar 1, 2017

    RED CLAY - REINVENTAR O BARRO

    Em 2010 nascia a marca que, pouco a pouco, se tem tornado cada vez mais procurada por alguns dos melhores percussionistas a nível mundial e que tem a particularidade de ser produzida num produto considerado ultrapassado pelos tempos...

  • plantwear1

    Luxury & Fashion

    Set 26, 2018

    PLANTWEAR

    Exclusividade em cada peça

    Inspirada na madeira e nas suas formas singulares, cada peça é como cada pedaço da matéria-prima: único. Não existe uma peça igual tornando-a para além de lindíssima, muito especial....

  • 1

    Technology

    Nov 27, 2018

    LG SUITBOT

    "LG has created a robotic exoskeleton designed to support and enhance its wearer's legs to improve lower limb strength. The suit, named LG CLOi SuitBot, features "naturally-rotating joints" and sandal-like shoes, which LG claimed...


  • IMG_6941

    Lifestyle & Travel

    Jul 1, 2017

    A CIDADE DAS CAVERNAS

    Quase se pode dizer que é uma cidade "bipolar". É "apenas" um dos locais habitados pelo Homem mais antigos do mundo, tendo a sua origem ainda na pré-história. E é também um dos locais mais preservados.

  • Reading-Between-the-Lines-church-by-Gijs-Van-Vaerenbergh-2

    Culture & Art

    Jul 1, 2017

    ESCULPIR NO AR

    Uma igreja pode ser o cerne da vida de cada um, ou simplesmente uma estrutura física que se combina com o ambiente envolvente. É isto que está no fundo de "Reading between the lines", uma instalação artística que emerge da paisagem,...

  • Depositphotos_11561359_xl-2015

    Lifestyle & Travel

    Set 14, 2018

    Helsínquia

    A capital do país mais feliz do mundo, a Finlândia, é uma agradável surpresa que não quererá perder. Localizada na terra dos mil lagos, ilhas e da aurora boreal, Helsínquia é, actualmente, uma das cidades mais inovadoras e...


  • Lifestyle & Travel

    Mar 1, 2015

    Closer to the Center of the Earth

    Krubera Cave or Voronya Cave, is the deepest known cave on Earth. It is located in the Arabika Massif of the Gagra Range of the Western Caucasus, in the Gagra district of Abkhazia, a breakaway region of Georgia. 

  • Culture & Art

    Mar 1, 2015

    Free knowledge for everyone

    Presently, Wikipedia is a normal internet companion, your go-to source when you need questions answered quickly, technical data on any subject or random trivia about virtually any celebrity in the world. 

  • Red Caviar

    Food & Beverage

    Dez 1, 2014

    Champagne and Caviar

    Lemberg has gained its incredible popularity thanks to superb quality of its products and professional approach to clients.