Science & Nature

Dez 1, 2017

OCEANOS EM PERDA ACELERADA

Desde os tempos mais remotos, a pesca tem sido uma das grandes fontes de alimento da humanidade. A riqueza dos recursos marinhos foi sempre assumida como uma dádiva ilimitada da Natureza. 

Por NARUTO SHIZUKA

Mas, com o aumento do conhecimento e do desenvolvimento dinâmico das pescas a partir dos anos 50 do século passado, este mito tem desaparecido face à utilização intensiva dos recursos marinhos que, embora renováveis, não são infinitos e necessitam de ser bem geridos de modo a oferecer o seu contributo para o bem-estar da sociedade.

A pesca desenfreada pode ser mais prejudicial a ecossistemas marinhos que a poluição, alertou a directora-geral da organização não governamental (ONG) Oceana, Monica Peres.

Para a diretora-geral da ONG, muitas pessoas pensam que os oceanos têm uma distribuição uniforme das formas de vida em toda a sua extensão quando, na verdade, há grandes agregações de seres vivos em espaços restritos e áreas gigantescas sem vida. Quando a pesca é feita sem o manejo adequado nessas áreas em que a vida se concentra, o equilíbrio dos ecossistemas é ameaçado.

"Às vezes, a pesca é feita para retirar uma espécie que é abundante, mas com ela, aparecem espécies que vivem muitos anos e que se reproduzem lentamente. Essas espécies mais vulneráveis não aguentam a intensidade de pesca que a espécie-alvo aguenta", defende Monica Peres, destacando que é preciso proteger as espécies que são pescadas e usadas como alimento e as demais, que, quando caiem nas redes de pesca, são devolvidas mortas ao mar sem que existam benefícios.

"Precisamos respeitar a capacidade daquelas populações de se reporem. Toda a extracção de recursos vivos tem de ser feita dentro da capacidade do organismo de se repor", afirma.

Acções de preservação e de manejo, na visão da pesquisadora e de armadores pesqueiros, poderão contribuir para que os ecossistemas marítimos sejam capazes de resistir às mudanças climáticas no planeta.

Reservas ameaçadas

Já em 2010, o então secretário Geral da ONU, Ban Ki-Moon, lembrava ao mundo que "uma grande parte dos recursos que assumimos como inesgotáveis estão gravemente ameaçados, implicando impactos profundos nos ecossistemas, economias e subsistência humana".

Daí para cá, a intensificação da pesca industrial tem levado à extinção das práticas tradicionais de pesca que preservam a riqueza natural das águas. Hoje, os métodos de pesca utilizados são os que capturam mais peixe em menos tempo, ignorando a destruição dos habitats marinhos e a perturbação de toda a cadeia alimentar dos oceanos.

A taxa de consumo dos produtos piscícolas continua a crescer a um ritmo superior ao da taxa da população mundial, colocando as reservas de peixe existentes sob enorme pressão (até 2025 é estimada uma população de 8,5 mil milhões de pessoas, sendo necessário pescar 162 milhões de toneladas para garantir o consumo de 25 quilos de peixe por pessoa e por ano). No entanto, a indústria da pesca, na maioria dos casos, parece querer continuar a fechar os olhos à viabilidade do sector a longo prazo, incentivando a exploração excessiva e descontrolada na corrida para pescar o último peixe dos oceanos.

As consequências da perda gradual da vida marinha dos oceanos poderão ser catastróficas no futuro. Aliás, como afirmam investigadores e vários dirigentes da indústria, as águas europeias estão praticamente esgotadas. No oceano Pacífico, as grandes frotas estrangeiras de pesca estão a eliminar o único meio de sobrevivência das populações locais costeiras: o atum. Muitas águas africanas, que serviram de palco para as operações de pesca europeias e asiáticas durante muitos anos, encontram-se hoje sobre-exploradas ou totalmente esgotadas, com os navios do Norte a deslocarem-se para a América do Sul.

Este alerta geral para a crise dos oceanos, tem incentivado um número crescente de consumidores e de armadores pesqueiros a defenderem que a biodiversidade é crucial para a existência de ecossistemas saudáveis e ricos.

Com menos de um por cento dos oceanos protegidos e os cientistas a apontar para o colapso iminente das reservas de peixe, é urgente travar a perda da vida dos oceanos e responder aos apelos da ONU para protegermos os recursos que consumimos.

PESCA SUSTENTÁVEL

Em todo mundo a pesca é uma actividade de alto valor social e é um trunfo para as economias, cuja gradual importância em relação aos outros sistemas de produção de alimentos tem evoluído, devido à prática sustentável que o sector pesqueiro tem desenvolvido e na criação de postos de trabalho no sector primário.

Os Governos e as organizações internacionais têm adoptado medidas para difundir os benefícios nutricionais e promover o consumo de produtos aquáticos, estimulando a sua inclusão na dieta alimentar diária.

Contudo, é necessário ter em consideração o impacto negativo da pesca nos ecossistemas aquáticos e os impactos ou ameaças e restrições sobre a pesca nos rios ou lagoas.

No que diz respeito à Pesca Continental, ela deve ser valorizada especialmente pela relevância dos meios de subsistência das populações. A actividade piscatória nos rios e lagoas deve ser parte fundamental de uma família comunitária cujo modo de vida depende de vários recursos naturais, implícitos no desenvolvimento sustentável para a redução da pobreza.

Por isso, os investimentos na pesca continental não podem ser negligenciados, já que as capturas nos rios e lagoas permitem enriquecer a dieta alimentar e os excedentes podem ser vendidos, dando rendimentos suplementares às famílias.

O mesmo se passa com a pesca artesanal no mar, que cria milhares de postos de trabalho e garante rendimentos importantes aos pescadores. São estes aspectos que têm colaborado de forma fundamental para o incentivo do desenvolvimento do sector pesqueiro mundial, onde a pesca artesanal no mar e nas lagoas e rios já representa grandes ganhos para as comunidades piscatórias ribeirinhas.

A pesca no mar e a pesca continental são faces da mesma moeda e não corpos estranhos ou diferenciados. A aquicultura convencional é rentável na costa marítima. Mas deve ser feita uma aposta forte no incremento da produção natural de recursos piscatórios, defendem os especialistas.

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • Depositphotos_4906403_xl-2015

    Business & Industry

    Dez 1, 2017

    UM NOVO PASSO PARA A INTERNACIONALIZAÇÃO

    Angola é o 3º país do mundo que maior apoio financeiro tem recebido da China. A reconstrução e desenvolvimento de Angola a partir de 2003 beneficiou desse apoio, especialmente para a construção de novas infraestruturas e novas...

  • 1

    Technology

    Nov 27, 2018

    LG SUITBOT

    "LG has created a robotic exoskeleton designed to support and enhance its wearer's legs to improve lower limb strength. The suit, named LG CLOi SuitBot, features "naturally-rotating joints" and sandal-like shoes, which LG claimed...

  • julesrimet_gi_2720

    Sport

    Mai 25, 2018

    O "SANTO GRAAL" DO FUTEBOL

    Dia 14 de Junho, na Rússia, trinta e duas equipas nacionais estarão envolvidas na maior competição futebolística do planeta, o FIFA Mundial de Futebol 2018, com o objetivo de levantar o mais cobiçado troféu, a Taça Jules Rimet

    ...


  • 19620901_739735632865157_1070968012579382532_o

    Home & Design

    Ago 1, 2017

    ESTILO OCIDENTAL, SABEDORIA JAPONESA

    Não precisa ver o filme Kill Bill-Volume 2, ser uma grande chef ou um mestre de espada para saber que as melhores lâminas do mundo são japonesas. A sua tradição no fabrico de lâminas vem desde o século XIII.

  • quinoa

    Helthcare & Wellness

    Abr 1, 2017

    QUINOA - O OURO DOS INCAS

    O Império Inca foi o mais amplo e mais longo da América do Sul da era pré-hispânica, estendendo-se pela costa do Oceano Pacífico desde o sudoeste da Colômbia, Equador, Perú, Bolívia, Chile e Argentina, entre o ano 1438 e até...

  • #1

    Luxury & Fashion

    Out 19, 2018

    HORNSKOV KØBENHAVN

    "Todos conhecemos a importância que uma aparência impecável tem no mundo dos negócios. Cada vez mais, vemos espantosos cortes de cabelo e barba, combinados com belas gravatas e fatos e camisas e sapatos."


  • 1. Field-and-Flower-The-Butcher-At-Your-Door

    Food & Beverage

    Nov 1, 2017

    UM TALHO À SUA PORTA

    Com o advento dos hipermercados e das grandes cadeias de supermercados, os bairros citadinos funcionam cada vez mais como meros dormitórios e os talhos de rua são uma espécie quase em extinção.

  • 1

    Technology

    Mai 1, 2015

    Transcontinental businesses

    The world has changed, and so has the way people and companies do business around the globe, increasing connections and networking through the internet, partnerships and new business concepts which bring with them more innovation and...

  • BENETTI-PANTHERA-NAV-253_MOD_LG

    Lifestyle & Travel

    Ago 1, 2015

    Luxury afloat

    For Benetti, building yachts means carrying on the tradition of innovation, style and quality that has shaped the company's approach and culture. It means continuing to diversify production in order to satisfy the increasingly complex...