Lifestyle & Travel

Nov 30, 2015

Ano Novo, Velhas tradições

No Ano Novo antecipamos sempre um milagre. Em todas as nações, o ponto de transição entre um ano e o outro é considerado especial. A tradição de celebrar o ano novo surgiu à mais de 2500 anos na Mesopotâmia. Naqueles tempos, era celebrado, não no primeiro de Janeiro, como é hoje, mas sim em Março. Mais tarde, este feriado passou dos Babilónios para os Judeus, e destes para os Gregos, e por aí fora até aos povos da Europa Ocidental. No ano 46 D.C.  o Imperador Romano Júlio César transferiu a celebração do Ano Novo para dia 1 de Janeiro, e gradualmente, outras nações do mundo adoptaram o dia 1 de Janeiro como o Ano Novo. Assim foi a viagem deste maravilhoso feriado de abetos, luzes e São Nicolau até à nossa época. 

<

Vejamos as diferentes tradições pelo mundo fora neste dia:

Bulgária

O Ano Novo na Bulgária é uma festa muito luminosa e colorida. Os Búlgaros normalmente celebram-na em casa, à mesa com a família. Acreditam que quanto mais rica a mesa estiver, mais próspero será o ano novo, e por isso as mesas estão cheias de comida. A tradição dita que numa mesa Búlgara de Ano Novo, não deve haver menos do que doze pratos, e nenhum deles pode ter carne.

Para celebrar, o Búlgaro veste apenas coisas novas. Durante a celebração, chocam-se os anéis, como se fossem copos, e à meia-noite em ponto, as luzes de todas as casas apagam-se durante três minutos. Estes chamam-se "minutos de beijos de Ano Novo", segredos que são guardados pelo escuro. Por vezes, mediante acordo prévio, fazem-se "concursos" sobre quem beija mais pessoas. Esta é uma tradição que demonstra o desejo mudo de amor, felicidade e sucesso para o Ano Novo. Após o jantar, os mais jovens controem "survachki", paus de cornizo, uma espécie de abrunheiro, decorado com um fio vermelho, cabeças de alho, nozes, moedas, ameixas e frutos secos. Levam estes utensílios quando visitam os vizinhos, entram nas casas destes e dão com os "survachki" nas costas dos anfitriões, ritual que se considera trazer boa sorte à casa,

Честита Нова Година! Feliz Ano Novo!

Rússia

Até 1700 D.C., na Rússia contavam-se os anos a partir do ponto d'"A criação do mundo" (Creation of the World in a Star Temple - CWST). No ano de 7207 (1700 segundo o calendário actual), Pedro I da Rússia mudou tanto o calendário em si, como a celebração do Ano Novo, ao ordenar que a contagem dos anos fosse feita a partir de 1700 D.C. De acordo com o antigo calendário Russo, 2016 corresponde a 7523 CWST. Para celebrar, toda a família se junta à mesa. Cozinha-se salada russa, arenque "com casaco de pele", couve recheada, sandes com caviar, pastéis recheados, entre muitos outros.

Primeiro, despedem-se do Velho Ano, lembrando os seus momentos mais marcantes. Após o Chefe de Estado se dirigir ao povo na televisão, exactamente à meia-noite, sinos tocam, simbolizando a chegada do Novo Ano. É então que todos brindam com champanhe, pedem desejos e felicitam-se uns aos outros. A seguir, o hino nacional passa na televisão. Esta tradição conta 70 anos. No dia de ano novo, oferecem-se presentes, visitam-se amigos, e vive-se o divertimento, nas cidades geladas com árvores de ano novo construídas nas principais praças das cidades, vilas e aldeias. Uma celebração de ano novo na Rússia não é sem "Ded Moroz", o Pai Natal, e a sua neta "Snegurotchka" (menina-feita-de-neve), que visitam as crianças para ouvi-las a recitar poemas e cantar sob a árvora de ano novo, para depois lhes oferecerem presentes.

Para além do Ano novo, o feriado do Velho Ano Novo á celebrado segundo o calendário juliano (hoje nos dias 13 para 14 de Janeiro, correspondentes ao 31 de Dezembro e 1 de Janeiro no calendário antigo). Esta tradição tem vindo a tornar-se cada vez mais popular.

С Новым годом! Feliz Ano Novo!

Cazaquistão

O ano novo no cazaquistão é celebrado duas vezes: No 1º de Janeiro pela tradição Europeia, e a 22 de Março, após o equinócio da primavera. A tradição de celebrar o Ano Novo de 31 de Dezembro para 1 de Janeiro surgiu durante o preíodo Sovético do Cazaquistão, e por isso tem poucas diferenças com a da Russia. Hoje é um dos feriados mais populares no país.

A segunda celebraçãso de ano novo no Cazaquistão é a "Nauriz Meirami", celebrada de acordro com as tradições orientais a 22 de Março. Os cazaques acreditam que quando mais alegre for a festa de Ano Novo - "Nauriz" - mais feliz será o ano vindouro. A celebração começa com toda a vizinhança tradicionalmente reunida para ver o nascer do Sol, para depois irem todos a uma fonte ou rio para o limpar. A seguir, plantam árvores nas ruas.

"Dastarkhan", a tradicional mesa baixa cazaque, é preparada em todas as casas. Começam a comer ao meio-dia, e antes e depois das refeições, o Mullah (o Ancião) lê orações em honra dos ancestrais. Perante os Aqsaqals (os anciães) são dispostos sete pratos com a típica comida "Nauriz-kozhe", feita com sete ingredientes. Entre estes está o sal, carne, gordura, cebola, trigo e kurt - um tipo de queijo.

A celebração da "Nauriz" no Cazaquistão é geralmente acompanhada de jogos populares, corridas e divertimentos. Uma moça pode desafiar um dzhigit (cavaleiro) para uma competição. Caso ele ganhe, pode casar com ela, ou, se a moça vencer, o dzhigit tem que lhe obeceder, e cumprir com todas as suas ordens. Assim, o "Nauriz" dá origem a casório.

Жаңа жылыңызбен!

Feliz ano novo!

Portugal

As pessoas na cidade adoram ficar na rua a dançar e passear nesta noite. Quando bate a meia-noite, felicitam-se uns aos outros, desejam felicidades e trocam presentes.

Em casa, uma boa jantarada espera pelo português. Numa grande mesa, ir-se-á comer bacalhau e beber vinho do porto. À meia-noite, a cada badalada come-se uma passa de uva, e pede-se um desejo.

É costume em Portugal oferecer a familiares e amigos o Bolo Rei, coberto com amêndoas e frutas cristalizadas. Antigamente, dentro da própria massa do bolo era incluida uma figurinha ou medalha minúsculas, para trazer paz à casa de quem a encontrasse numa fatia. Segundo uma lenda, os Reis Magos, no caminho para jesus cristo, recebiam dos populares presentes para serem entregues ao Menino. Tudo era colocado num grande saco, e os presentes consistiam de farinha, manteiga, açúcar, ovos, nozes, passas, e frua cristalizada. Em cima de tudo, uma leiteira cheia de leite, que se derramou, e tudo se misturou. O resultado foi uma massa, que foi moldada em forma de coroa, e oferecida ao Menino. Foi há muito tempo atrás, e hoje em dia, as pastelarias reduzem a produção de outras iguarias para produzir Bolo Rei todos os dias, o dia todo. Num mês, perfazem receita do ano inteiro. À meia-noite do 31 de Dezembro, nas cidades portuguesas ouvem-se barulhos repentinos, chocalhares e gritos. Não há problema, é a população local a celebrar o Novo Ano. Neste país, costuma-se pegar nas tampas dos tachos e em frigideiras e batê-los uns nos outros com força. A juventude das aldeias e bairros junta-se no ano novo para cantar as "Janeiras", cânticos de Ano Novo. Vestem-se com estranhas roupas e máscaras, e a liderar um grupo vai o «Velho», ou «Velha», um espantalho vestido com trapos. Com músicas e risos, as bonecas são carregadas pelas ruas, e no fim, queimadas numa cermónia que simboliza a liquidação do Velho ano, com as suas adversidades.

Feliz Ano Novo!

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • julesrimet_gi_2720

    Sport

    Mai 25, 2018

    O "SANTO GRAAL" DO FUTEBOL

    Dia 14 de Junho, na Rússia, trinta e duas equipas nacionais estarão envolvidas na maior competição futebolística do planeta, o FIFA Mundial de Futebol 2018, com o objetivo de levantar o mais cobiçado troféu, a Taça Jules Rimet

    ...

  • Depositphotos_50352095_xl-2015

    Lifestyle & Travel

    Abr 28, 2018

    OS NOVOS EMPREENDEDORES, LÍDERES E VISIONÁRIOS

    A geração que nasceu e cresceu entre os anos 80 e 90 viveu toda a revolução digital, tecnológica, social e económica que o nosso mundo sofreu

  • portable-fundus-camera-1

    Helthcare & Wellness

    Mai 1, 2017

    PARA ALÉM DO OLHO

    Há alguns anos, uma ida regular ao dentista, era ainda um pesadelo. Os processos "quase" medievais, costumavam levar-nos o sono durante dias. E, o mesmo costumava acontecer quando precisávamos de fazer exames oftálmicos rigorosos....


  • quinoa

    Helthcare & Wellness

    Abr 1, 2017

    QUINOA - O OURO DOS INCAS

    O Império Inca foi o mais amplo e mais longo da América do Sul da era pré-hispânica, estendendo-se pela costa do Oceano Pacífico desde o sudoeste da Colômbia, Equador, Perú, Bolívia, Chile e Argentina, entre o ano 1438 e até...

  • GallerySlide1

    Technology

    Jul 1, 2017

    NÃO É GRANDE, É ENORME

    Imagine um avião que parecem dois aviões colados entre si pela asa. Depois adicione seis reactores Pratt & Whitney, tal como os utilizados no Boeing 747. O resultado são 580 toneladas de peso a levantar voo.

  • product-alt-benefits-3pp

    Food & Beverage

    Ago 1, 2017

    REFEIÇÃO FÁCIL PARA DIAS APRESSADOS

    Todos temos aqueles dias em que o tempo parece curto demais. Saímos a correr de uma reunião de negócios, já atrasados para a próxima. E não há tempo para tomar uma refeição decente entre reuniões.


  • Technology

    Abr 1, 2015

    To fly over the water

    The Reptile is a compact water-craft that features a carbon fiber shell and reinforced hull, measuring 7.5 m (24.6 ft) long and 3.5 m (11.5 ft) wide. 

  • CAREERS-1_2_0

    Business & Industry

    Abr 1, 2016

    Onde os Mergulhadores Treinam

    Mergulhadores comerciais desempenham uma miríade de acções debaixo de água e são responsáveis por garantir a segurança e integridade de estruturas, navios, pessoas e negócios. É extremamente importante ter o treino apropriado...

  • Luxury & Fashion

    Set 1, 2015

    The Shoe Must Go On

    Tradition at Ludwig Reiter is by no means an end in itself, but it seeks to transform and develop. The Viennese shoemaking tradition combines an uncompromising preservation towards high quality standards, finishing techniques and progressive...