Sport

Mar 1, 2017

RUGBY EM CADEIRA-DE-RODAS - NUNCA DESISTIR

Poderíamos imaginar que o rugby é um jogo demasiado físico, para ser praticado por pessoas com deficiência. Bem, com crianças seria o mesmo, mas elas adoram. As pessoas com deficiência não são flores e, com a postura correcta perante a vida, podem ser pessoas perfeitamente normais e praticar qualquer desporto no mundo. E o rugby não é uma excepção.

<

Está bem! Pode parecer perigoso, pode parecer traumatizante, até pode parecer digno de gente doida. Mas devemos perguntar: como dizer a uma pessoa com deficiência que não pode fazer algo, devido à sua incapacidade? E outra pergunta: é justo colocar tal pergunta?

Rugby não é um desporto exclusivo para atletas sem deficiência. É um jogo robusto, muito físico, com regras muito claras, para homens e mulheres que utilizam cadeira-de-rodas. E alguns formatos do jogo exigem que os jogadores sejam quadriplégicos, enquanto outros formatos exigem o compromisso de, pelo menos, três membros.

A cada jogador é atribuída uma classificação, que reflete o grau de compromisso do jogador. As equipas devem ter um ponto de limite, o que significa que devem ser compostas por jogadores com diferentes graus de compromisso para poderem ser aceites num jogo.

Originalmente, o jogo chamava-se "murderball" (bola assassina, quando traduzido para português), ou rugby de quads, nos Estados Unidos. O rugby de cadeira-de-rodas inclui muitos aspectos do rugby normal, e também elementos dos basquetebol e do andebol; desportos em que homens e mulheres utilizam cadeiras manuais, jogados em pavilhão, e que podem competir juntos na mesma equipa.

A finalidade dos jogadores é levar a bola a passar a linha do adversário. E sem dissimulações: com o uso de força bruta, se necessário! O contacto físico entre jogadores, contudo, não é permitido. Em vez disso, os praticantes usam a cadeira para bloquear os adversários. Novamente: a sua percepção sobre as pessoas com deficiência, vai ser testado; este é um desporto duro e bruto, e não há tempo para que seja jogado com gentileza.

Os principiantes, podem praticar o jogo numa cadeira normal, mas se vir fotos ou catálogos de cadeiras especiais, verá que existem muitas diferenças. As cadeiras profissionais são mais leves, mais fáceis de manobrar e muito mais rápidas. E também, as rodas traseiras são abertas para permitir mais aderência e estabilidade no pavimento.

A bole é semelhante à uma bola de voleibol, embora haja casos em que é igual a uma bola normal de rugby. Tudo depende do nível do jogo. O campo é igual ao de um jogo de basquetebol. Piso em madeira, com linhas laterais, linhas de base, linha central, um círculo central e duas áreas de golo, perfeitamente demarcadas.

As equipas são compostas por quatro jogadores, mas podem ser compostas por 12 jogadores. Os jogos são jogados em quatro partes, de oito minutos cada, com intervalos entre dois a cinco minutos entre cada parte.

Os pontos são marcados de cada vez que um atleta tem controle firme sobre a bola e cruza a linha de ensaio do adversário com duas das quatro rodas.

O contacto entre as cadeiras, é um ponto fulcral do jogo. Atingir a cadeira do adversário na parte de trás das rodas traseiras, contudo, pode levar a um pião, e é falta. Por ser um confronto físico directo com o adversário. Esta penalidades são castigadas com um minuto de expulsão ou até desqualificar o jogo.

E há limites para a regra de posse de bola para um único atleta: dez segundos, após os quais, o árbitro toma posse da bola e oferece-a à outra equipa. Uma vez ganha a bola, a equipa tem 40 segundos para marcar.

A equipa pode reclamar "tempo" por 30 segundos, e os treinadores, podem pedir um minuto.

Se houver um empate no final dos quatro períodos, joga-se um tempo extra de três minutos. E, os tempos extra de três minutos serão repetidos, sempre com intervalos de dois a cinco minutos, até que uma das equipas vença o jogo.

O rugby em cadeira-de-rodas foi inventado no Canadá em 1977, como forma de integrar atletas quadriplégicos no âmbito do desporto. Do Canadá, espalhou-se pelos Estados Unidos e é agora um desporto Paralímpico, jogado em 26 países.

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • food_salad_pexels

    Food & Beverage

    Abr 27, 2018

    PARADIGMA ALIMENTAR INOVADOR

    A nova tendência de alimentação chegou para ficar. As taças coloridas, as flores comestíveis e plantas saudáveis são a escolha para este ano! 

  • 1.-FIFAs-World-Cup-Opens-The-Door

    Business & Industry

    Fev 1, 2018

    MUNDIAL DA FIFA ABRE PORTAS

    Curiosamente, para a realização dos dois últimos Campeonatos do Mundo de Futebol (2010 e 2014) e o que se realiza este ano, a FIFA escolheu pela primeira vez 3 países classificados como BRICS: África do Sul em 2010, o Brasil...

  • Diane-Van-Furstenberg-10099DVFSVABB_A1

    Luxury & Fashion

    Abr 1, 2017

    O MUNDO EM COLLANTS

    Lisos, com laços, bolas ou em renda, rasgados, de rede, brilhantes, opacos ou transparentes, com ou sem ligas, de descanso, push up ou especiais para grávidas, os collants são hoje uma peça de vestuário indispensável, que...


  • Vinhas02

    Business & Industry

    Mar 31, 2018

    NÉCTARES DA "ILHA DAS MAÇÃS"

    O Estado australiano da Tasmânia tornou-se conhecido graças às suas maçãs, tanto que acabou por ser alcunhado de "ilha das maçãs" dada a predominância dos seus pomares

  • 2_10_17acapulco3

    Luxury & Fashion

    Abr 1, 2017

    ADIDAS ACAPULCO - WALK THIS WAY

    Quem se lembra de Run DMC? E de Stan Smith? E quem não conhece a Adidas? O que têm em comum a famosa marca das três faixas e os nomes acima mencionados? Os gloriosos anos 80.

  • 226c441149909061a3a62986fcadd917

    Sport

    Abr 1, 2017

    NAGINATA - A ARTE QUE FAZ O CARÁCTER

    Se há herança que o Oriente vai dando à Humanidade, é inegavelmente, uma diversidade de disciplinas que procuram a evolução do Ser e que conduzem à elevação física, mental e espiritual. Artes Marciais como o Karaté, incluído...


  • Hyperloop1

    Mecanica e Locomoção

    Dez 1, 2016

    HYPERLOOP ONE - REALIDADE SURREAL

    A ideia original de Elon Musk (apresentada pela primeira vez em 2013, pelo patrão da tecnológica americana, Tesla), que parecia uma visão futurista e inatingível, ganha forma nas áridas paisagens de Abu Dhabi, Emirados Árabes...

  • Untitled-3

    Luxury & Fashion

    Mar 1, 2017

    ÖGON - SEGURANÇA E ESTILO

    As tradicionais carteiras em cabedal ou plástico, podem parecer muito úteis porque cabe tudo nelas. O problema é que cabem coisas a mais. É um pouco como a mala de senhora, onde até cabem coisas inúteis e outras absolutamente indescritíveis. 

    ...

  • AllPhotos - anna sholtz (10)

    Luxury & Fashion

    Jul 1, 2016

    A INSPIRAR FEMINILIDADE

    Desde há muito tempo que, em muitas culturas, mulheres roliças eram sinónimo de saúde. Actualmente, embora os dois aspectos não estejam necessariamente relacionados, a tendência é valorizar a beleza natural e mulheres com formas...