Luxury & Fashion

Jul 1, 2016

A INSPIRAR FEMINILIDADE

Desde há muito tempo que, em muitas culturas, mulheres roliças eram sinónimo de saúde. Actualmente, embora os dois aspectos não estejam necessariamente relacionados, a tendência é valorizar a beleza natural e mulheres com formas mais roliças.

<

O apoio público a raparigas roliças, nomeadamente, centenas de milhar de seguidores em redes sociais, começam a impelir muitas casas de moda a reverem a sua política relativamente à criação, produção e venda de tamanhos de roupa grandes. Anna Scholtz é um dos nomes da indústria da moda que torna a silhueta das "mulheres gordinhas" ainda mais atractivas.

Paradoxalmente, apesar de a maioria das mulheres não ser demasiado magra, a indústria da moda continua orientada para mulheres "muito magrinhas", esquecendo-se que, e a título de exemplo, segundo dados divulgados pela revista "Marie Claire", as clientes "mais pesadas" gastam 1.5 mais de dinheiro em roupa do que as "menos pesadas", comprando mais coisas numa só ida às compras. Só nos EUA, o mercado de roupas de tamanhos grandes é de 17 mil milhões de dólares por ano. Para além disso, as "gordinhas" estão três vezes mais dispostas a falar das compras nas redes sociais, onde milhões de visualizações e milhares de gostos vão para campanhas publicitárias, cujas protagonistas são mulheres de silhueta "normal", e não as da silhueta "modelo".

Hoje, os novos, ou melhor, os esquecidos e velhos padrões de beleza são ditados por modelos de "tamanho 44-52". Contrariamente à moda do passado, a nova tendência é ensinar a amar e a cuidar do corpo tal como ele é.

Annas Scholz, criadora da marca "Anna Scholz" para senhoras roliças, conhece muito bem as dificuldades de uma mulher para encontrar roupas de tamanhos grandes, bonitas e confortáveis, sendo que o seu próprio tamanho é um "50 europeu". Volumosa desde criança, cedo se deparou com a dificuldade de escolher um guarda-roupa. Anna encontrou uma forma original de resolver o problema: começou a costurar a própria roupa.

A designer nasceu em Hamburgo, Alemanha, mas estudou Design de Moda na St. Martins School of Art and Design, em Londres, Reino Unido, onde também estudaram designers como Stella McCartney e Alexander McQueen.

Decidida a ajudar as suas "companheiras no infortúnio", criou a sua própria linha de roupa, que se tornou popular não só no seu país natal, Alemanha, como noutros países da Europa e Ásia, e nos Estados Unidos.

Anna Sholz trata o negócio com fervor, e trabalha entusiasticamente na criação de colecções femininas. Actualmente, Anna vive em Notting Hill, Londres. Sente-se atraída pela cidade devido à diversidade cultural dos habitantes, que se destaca nas roupas que usam, e cuja diversidade serve de inspiração à criadora para elaborar, por exemplo, peças com elementos étnicos.

Os modelos da designer encorajam as senhoras a não se envergonharem da sua feminilidade, enaltecendo as silhuetas com a ajuda de decotes, blusas opacas, camisas transparentes, capas de chiffon ou renda. As peças centrais das colecções são túnicas de bainha assimétrica, camisas claras, saias longas e rectas, jaquetas justas e luxuosos blazers. As únicas peças proibidas são tops de barriga subida, minissaias e leggings. No que toca à paleta de cores, há de tudo, desde preto, passando por branco, vermelho até ao verde vivo.

Anna considera errónea a opinião de que as mulheres curvas devem usar chumaços nos ombros, para ela, na verdade, «tornam a figura quadrada». As formas naturais são melhores do que a elevação dos ombros e ancas. Também não há que ter medo de listas – na opinião da designer, "não irão estragar o conjunto". Na sua criatividade, Anna mantém-se fiel a um lema: «não há "sacas" para uma senhora roliça. Não há que esconder com vergonha as formas luxuriosas».

Os modelos da marca são muito bem pensados, e têm em conta a especificidade das proporções de uma figura feminina roliça. Todos os inconvenientes podem ser visualmente corrigidos com a ajuda de ajustes, cortes e acessórios cuidadosamente escolhidos. Assim, a silhueta fica harmoniosa e elegante, dando a quem veste os modelos auto-confiança, e torna-se igualmente atractiva ao olhar, devido aos atributos habilidosamente enfatizados. Se o aspecto geral for harmonioso, os "inconvenientes" dificilmente chamam a atenção.

A maioria dos clientes de Anna Scholz são mulheres de meia idade ou mais. No entanto, periodicamente, a designer lança colecções, não menos elegantes e femininas, para jovens.

Ao analisar a colecção da marca, conseguimos facilmente definir a filosofia que segue. Tal como a própria Anna Scholz afirmou em entrevista a um canal de moda italiano: «Amem-se como são. O ideal de beleza não existe, cada silhueta é bela à sua maneira. E nós, designers, faremos o nosso melhor para começar a amar as vossas silhuetas também».

Contactos – Contacts:

annascholz Ltd
Unit 3.2 - The Chandelier Building
8 Scrubs Lane
London 
NW10 6RB

Telephone : + 44 (0)20 3384 0305 - Fax : + 44 (0)20 3598 2393
info@annascholz.com

http://www.annascholz.com/

http://www.moda-dlya-polnyh.ru/brendy/anna-sholz.html

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • AR-170519548

    Business & Industry

    Jul 1, 2017

    CRESCER DE NOVO

    E outra vez, e de novo para dentro to mar. O Dubai não para de espantar o mundo com os seus hotéis e estilo de vida luxuosos. Mas também com os investimentos milionários para fazer o país crescer.

  • AdobeStock_86784638

    Business & Industry

    Mar 1, 2017

    ÁGUA-DE-COLÓNIA - TODOS OS CHEIROS DO MUNDO

    O mundo não é só pensado, falado, lido ou visto. É sentido, cheirado e ouvido. A nossa relação com as cidades é exemplo disso. Estas possuem identidades que vão sendo construídas tanto no imaginário de quem nunca as viveu...

  • null-stern-hotel-switzerland-alps_dezeen_1568_4

    Lifestyle & Travel

    Jun 1, 2017

    DORMIR COM AS ESTRELAS

    Sem paredes nem telhados, os quartos de hotel, que lhe mostramos na presente edição da Your VIP Partner, têm uma vista privilegiada para o céu, mais propriamente o céu dos Alpes suíços – chama-se Null Stern e é mais do que...


  • Zinco03

    Business & Industry

    Ago 1, 2017

    Gronelândia: A Derradeira Jazida de Zinco

    A Ironbark está actualmente a desenvolver três projectos na Gronelândia, destacando-se de longe a prospecção da mina de zinco e chumbo em Citronen. A multinacional australiana começou a aprofundar o projecto para a exploração...

  • AdobeStock_112601508

    Research & Education

    Jun 1, 2017

    Ciclovias que brilham

    Até há relativamente pouco tempo os materiais que brilham no escuro não tinham funções que fossem muito além do prazer decorativo. Mas a luminescência foi conquistando aplicações mais utilitárias e hoje, literalmente, está...

  • sonos-playbar11

    Home & Design

    Jun 1, 2017

    UMA NOVA DIMENSÃO

    Quando pensamos que ter uma sound base na sala pode ser a resposta para os nossos sonhos, normalmente apercebemo-nos que isso pode ser antes um problema – a maioria das televisões de hoje, simplesmente não o permitem.


  • 01

    Mecanica e Locomoção

    Jan 1, 2017

    PNEU (QUASE) ETERNO

    Ainda nem um ano passou desde que publicámos nas páginas desta mesma revista, um tema sobre um programa da Michelin (Tweel, edição de Abril de 2015) para a construção de um novo conceito de pneu sem câmara de ar, aplicável...

  • Technology

    Mar 1, 2015

    Digital jewelry

    Have you ever thought about that perfect piece you want to wear everyday, but it doesn't fit all your fashion choices? The answer might be just around the corner with Liber8's new digital "Tago Arc" bracelet which is controlled by another...

  • PreparingTheAsadobyLuisArgerichCCBY20viaCommons

    Food & Beverage

    Out 1, 2015

    Das Pampas para a mesa

    Argentina, América do Sul, onde a Natureza gerou maravilhosas paisagens, tangos perfeitos, vinho saboroso. Onde a comida tem um papel na história do país, especialmente a carne.