Home & Design

Mai 1, 2017

JARDINS DO FUTURO

Se gosta de verde, prepare o coração, pois os jardins do futuro são de tirar o fôlego e vão estar por toda a parte. Do cantinho na varanda, à cozinha, sala de estar, área de serviço, quintal e, sobretudo, nas cidades e nos edifícios de escritórios, todos os cantos e recantos vão ser ajardinados – haverá um boom de jardins verticais.

<

A Primavera chegou, e com ela a vontade de relaxar num cantinho verde repleto de árvores e de plantas. Isso nem sempre é fácil quando se trabalha na cidade, nomeadamente em zonas de escritórios. Esta realidade tem vindo a mudar com a construção de jardins verticais, as cidades e os edifícios do futuro serão muito mais eco-friendly.

Seguindo essa tendência e, a título de exemplo, Bruxelas, capital da Bélgica, planeia a construção de três estruturas verticais feitas de materiais recicláveis, fontes de energia renováveis e cerca de 30.000 plantas. Este projecto acontece na sequência de iniciativas anteriores no porto da cidade belga, num comboio, numa estação marítima, num armazém e, mais recentemente, na antiga paragem de Táxis de Bruxelas.  O plano para este último local prevê a criação de um refúgio verde com estruturas maciças de 300 metros de altura, parcialmente alimentadas por painéis solares. As inúmeras plantas serão integradas em edifícios, permitindo a absorção de 175 toneladas de dióxido de carbono (CO2), todos os anos.

Para além de ficar esteticamente mais atractivo, os jardins verticais pretendem conferir ao local uma mistura de espaços residenciais, comerciais e de negócios, ancorados no que a firma Vincent Callebaut Architecture, responsável pelo plano, chama de "princípios de construção inovadores e sustentáveis". Por enquanto, é uma ideia que está apenas no papel, mas que se receber luz verde, vale a pena conhecer.

Redefinir a paisagem urbana, usando a natureza, é uma ideia que está a ser alvo de inúmeros projectos urbanísticos e de design um pouco por todo o mundo. A concretizar-se, trará seguramente grandes benefícios para o meio-ambiente, embora, haja também quem aponte alguns riscos, como a rápida deterioração das paredes devido às plantas.

Outro exemplo dessa receptividade aconteceu em Nanjing, na China, onde a construção de jardins verticais foi levada muito a sério, numa tentativa de reduzir a poluição na cidade. Também a Itália e a Suíça seguem esta tendência. São famosas as duas torres na cidade italiana de Milão que medem 367m de altura e que, juntas, podem conter até 480 árvores de grande e médio porte, 250 árvores de pequeno porte, 11.000 de solo-cobertura e 5.000 arbustos, o que equivale a 2,5 hectares de floresta vertical. O objectivo é reduzir o ruído urbano, os níveis de CO2, a poeira do ar da cidade e o calor urbano. As torres incluem, ainda, apartamentos onde não é necessário usar climatizadores, sendo o recurso à energia eólica e fotovoltaica responsável pela auto-suficiência energética do edifício.

Se sonha viver num condomínio residencial, no centro da cidade, com jardins verticais formados por vasos de árvores sustentadas por ramificações e feitos em vigas de aço, pode mudar-se para Turim, também em Itália, onde o arquitecto Luciano Pia, projectou apartamentos suspensos no chão com jardins na fachada. O edifício, assente numa estrutura ondulante, tem 63 apartamentos com terraço e vegetação. As plantas escolhidas são da região, facilitando a diversidade de cor, folha e floração. Um design inovador que junta o rústico com vigas de aço, paredes de tijolos queimados, placas de madeira e plantas. As árvores, na fachada, criam o microclima ideal no interior do edifício, especialmente eficaz em meses frios e/ou quentes.

A arrancar este ano, em Lausanne, Suíça, "A Torre dos Cedros", será um dos primeiros edifícios mundiais coberto por árvores, terá 36 andares e medirá 117 metros de altura. Uma casa para mais de 100 cedros, 6 mil arbustos e 18 mil plantas distribuídos por 3.000 metros quadrados. Foi projectada por Stefano Boeri, o mesmo que criou o "Bosco Verticale" em Milão, Itália. Os edifícios serão equipados com sistemas de reciclagem de água e irrigação, bem como com painéis solares. Haverá ainda ginásio, escritórios e um restaurante panorâmico. É a arquitectura ao serviço da Natureza, uma espécie de sonho de criança com benefícios reais.

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • AdobeStock_89316902_Preview

    Science & Nature

    Jul 1, 2017

    SOBRE OS OMBROS DE GIGANTES

    O mundo vive hoje tempos conturbados e a história da humanidade tem mostrado que as crises económicas reflectem crises civilizacionais mais profundas, de valores. Processos e conhecimentos que já tínhamos dado por adquiridos são...

  • doTERRA001

    Helthcare & Wellness

    Abr 1, 2017

    RESPIRE NATURALMENTE

    Praticamente todos os rebuçados e gomas para a tosse que se encontram actualmente disponíveis em qualquer supermercado ou farmácia incluem vários químicos de laboratório, entre adoçantes, corantes artificiais e agentes activos. 

    ...

  • 1

    Science & Nature

    Out 3, 2018

    SPROUT PENCIL

    O que acontece com um lápis de madeira depois de ser usado? Normalmente, é deitado ao lixo. Mas, e se fosse possível aumentar o seu tempo de vida, mesmo após já não restar nada que permita ser utilizado?


  • 1

    Business & Industry

    Dez 18, 2018

    AZERBAIJÃO

    O antigo, o novo e o futuro

    " O Azerbaijão é um país que impressiona em vários aspectos e é relativamente desconhecido nos países ocidentais. Partindo desde logo pelo facto de – ao contrário que muitos pensam...

  • Vector001

    Science & Nature

    Jul 1, 2017

    INTELIGÊNCIA (POUCO) ARTIFICIAL

    Oficialmente inaugurado em Toronto, Canadá, no passado dia 30 de Março, o Instituto Vector conta já com um investimento de 150 milhões de dólares por parte de empresas como o Facebook e o Google, multinacionais de tecnologia...

  • GallerySlide1

    Technology

    Jul 1, 2017

    NÃO É GRANDE, É ENORME

    Imagine um avião que parecem dois aviões colados entre si pela asa. Depois adicione seis reactores Pratt & Whitney, tal como os utilizados no Boeing 747. O resultado são 580 toneladas de peso a levantar voo.


  • Apple-Sized Diamond, the Second-Largest Ever Discovered on Earth

    Business & Industry

    Nov 30, 2015

    O segundo maior diamante alguma vez encontrado

    Uma companhia canadiana de mineração, a Lucara Diamond Corporation, extraiu o maior diamante encontrado em mais de um século, e é o segundo maior de sempre.

  • 01

    Mecanica e Locomoção

    Jan 1, 2017

    PNEU (QUASE) ETERNO

    Ainda nem um ano passou desde que publicámos nas páginas desta mesma revista, um tema sobre um programa da Michelin (Tweel, edição de Abril de 2015) para a construção de um novo conceito de pneu sem câmara de ar, aplicável...

  • _1090495

    Culture & Art

    Mai 1, 2016

    Rock in Rio

    Roberta Medina, Vice-Presidente Executiva do Rock in Rio

    Conheça em detalhe a maior indústria de música do Mundo – o Rock in Rio (RiR), que tem lugar entre 19 e 29 de Maio, em Lisboa, Portugal. "O RiR fomenta...