Technology

Abr 1, 2017

A CURIOSIDADE CRIOU O ROBOT

Até à data só exploramos cinco por cento dos oceanos da Terra. Tal significa, só para termos uma ideia, que actualmente sabemos muito mais acerca da geografia da Lua do que acerca dos oceanos do nosso próprio planeta. 

<

O que se encontra no fundo dos mares inexplorados tem sido objecto de referência especulativa em filmes e séries de ficção científica, terror ou um misto de ambos, mas tal está prestes a mudar.

A Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI), universidade privada fundada em 1930, em Massachusetts, Estados Unidos, está a desenvolver um novo tipo de robot subaquático que, ao contrário dos actuais, não necessita de ser controlado remotamente por um humano. Tratam-se de robots "curiosos" autónomos, capazes de se adaptar ao meio que exploram. 

Estes robots possuem câmaras que transmitem em directo, sonar e sensores de profundidade, salinidade e temperatura, que os orientam no fundo do oceano. A sua programação inclui um factor de curiosidade que lhes permite alertar para qualquer invulgaridade que detectem e que não faça parte da sua missão exploratória. 

Os robots começaram a ser testados no terreno em 2015, embora a tecnologia para a criação de robots autónomos tenha sido inventada em 2002. Estas máquinas extremamente avançadas são programadas para recolher o maior número de dados possível e para detectar as características do ambiente que os rodeia, como o tipo de peixes, crustáceos, corais e sedimentos com que se cruzam, bem como quaisquer anomalias, tendo os programadores incluído um algoritmo que na prática os torna "curiosos", daí a sua alcunha.

Antes desta inovação os robots subaquáticos tinham que ser manuseados remotamente por um humano ou cingiam-se meramente a uma tarefa pré-definida, algo que os cientistas, engenheiros e estudantes da WHOI conseguiram ultrapassar graças ao seu esforço contínuo para desenvolver novas teorias, testá-las e construir novos instrumentos marítimos que nos permitam recolher dados dos vastos e desconhecidos oceanos. 

A WHOI trabalha em todos os oceanos do mundo estudando a actividade geológica nas profundezas da Terra, a flora e a fauna marítimas, a erosão costeira, a poluição do mar e os efeitos das alterações climáticas, trabalhando em parceria com instituições como a Fundação Nacional Para a Ciência.

Até à data a WHOI produziu oito robots diferentes, sendo que apenas um deles, o Halvin, é um submersível tripulado que lhes foi cedido pela Marinha dos Estados Unidos em 1964. As restantes séries foram baptizadas de Remus (robot autónomo em forma de torpedo), Sentry (capaz de transportar sensores mais delicados), Jason (ainda de controlo remoto, utilizado também para explorar navios afundados), Nereus (que tanto pode operar autonomamente como acoplado a outro veículo), SeaBED (mais apropriado para recolher imagens detalhadas tanto ópticas como em sonar), Gliders (também em forma de torpedo, mas menos potentes que os Remus) e os Argo (3.000 unidades de tamanho reduzido que recolhem dados acerca da salinidade e temperatura da água).

A criação deste tipo de robots captou a atenção do Fórum Económico Mundial, que a apodou de "revolução industrial", dada a necessidade contínua de matérias-primas e formas de alimentação renovável. Recordando que 71 porcento da superfície da Terra se encontra coberta por água, quantos filões não estarão ainda por desvendar? 

À medida que os cientistas aprofundam cada vez mais os conhecimentos de robótica, inteligência artificial e de monitorização por satélites, essa tecnologia tornar-se-á cada vez mais acessível e uma realidade em todos os países industrializados. 

O corpo humano ainda não dispõe de equipamentos que o protejam a altas profundidades. A criação e aperfeiçoamento destes robots autónomos que conseguem detectar anomalias dignas de investigação sem a necessidade de uma programação prévia ou de um controlo remoto humano, são enorme avanço na descoberta da maior parte do nosso planeta.

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • 9de2447c-43cf-11e6-b22f-79eb4891c97d

    Business & Industry

    Ago 1, 2017

    A NOVA CORRIDA AO OURO

    O século XXI estabeleceu uma nova revolução na indústria de energia, com a crescente utilização de lítio para alimentar quase tudo no mundo. O que costumava ser um "pato feio" na mineração do metal é agora a estrela da última...

  • 025

    Food & Beverage

    Mai 1, 2017

    TRATAR DA PELE NUNCA FOI TÃO… DELICIOSO

    Uma doce tentação que provoca sensações tais que nem os seus maiores admiradores conseguem explicar. Ele é motivo de atracção turística em países como a Suíça, Bélgica, França, entre outros. Há mesmo quem se torne Provador...

  • parrilla

    Food & Beverage

    Mar 1, 2017

    GASTRONOMIA DO URUGUAI - UMA DELICIOSA SURPRESA

    Tido muitas vezes como um continente de desequilíbrios, a América do Sul guarda ainda muitas pequenas maravilhas quase inexploradas. É o caso do segundo menor país deste continente, o Uruguai. É um dos países mais desenvolvidos...


  • 00202943

    Business & Industry

    Jul 1, 2017

    O «EL DORADO» DOS INVESTIDORES

    Terra de Pablo Neruda, Gabriela Mistral (a primeira mulher americana a receber um Prémio Nobel de Literatura, em 1945) e de Isabel Allende, a República do Chile está apostada em captar investimentos internacionais, como forma de...

  • 01-Galop-DHermes.nocrop.w710.h2147483647.2x

    Luxury & Fashion

    Jul 1, 2017

    ESTRIBO ELEGANTE

    A nova garrafa de perfume de senhora do icónico Galop d'Hermès é inspirada na original, de 1930, da abertura da primeira loja da Hermès em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Voltemos quase um século atrás.

  • Camarao02

    Business & Industry

    Ago 1, 2017

    IGUALAR A CARNE

    O mundo já está familiarizado com a carne argentina. É um dos principais produtos de exportação dessa nação sul-americana que sobressai pela sua excelência servida nos populares rodízios e churrasqueiras argentinas e brasileiras...


  • The Celebration of Life "à la russe"

    Luxury & Fashion

    Dez 31, 2015

    Celebração da Vida "à la Russe"

    Ao longo do século XX, quase todos os designers de moda famosos recorriam ao tema russo, ao criarem as suas colecções. O primeiro designer russo a conquistar os corações do ocidente foi Vyacheslav Zaitsev. Nos anos 70 do século...

  • Saffron stems

    Food & Beverage

    Set 1, 2015

    Golden Yellow

    Saffron was brought to India by the Persian rulers around 500 BC, and it is believed that the cultivation and various uses spread from Kashmir though the Indian subcontinent.

  • FAIRY-TALESJ_1_030_WYBF136_back

    Luxury & Fashion

    Ago 1, 2016

    BEHIND THE CURTAIN OF THE JEWELLERY THEATRE

    Today, "Your VIP Partner" invites you to peep behind the curtain of an unusual theatre, whose actors are of overwhelming beauty - unique pieces of jewellery. The furniture, sound, colour, smells, light, movement, all is of great importance...