Technology

Abr 1, 2017

A CURIOSIDADE CRIOU O ROBOT

Até à data só exploramos cinco por cento dos oceanos da Terra. Tal significa, só para termos uma ideia, que actualmente sabemos muito mais acerca da geografia da Lua do que acerca dos oceanos do nosso próprio planeta. 

O que se encontra no fundo dos mares inexplorados tem sido objecto de referência especulativa em filmes e séries de ficção científica, terror ou um misto de ambos, mas tal está prestes a mudar.

A Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI), universidade privada fundada em 1930, em Massachusetts, Estados Unidos, está a desenvolver um novo tipo de robot subaquático que, ao contrário dos actuais, não necessita de ser controlado remotamente por um humano. Tratam-se de robots "curiosos" autónomos, capazes de se adaptar ao meio que exploram. 

Estes robots possuem câmaras que transmitem em directo, sonar e sensores de profundidade, salinidade e temperatura, que os orientam no fundo do oceano. A sua programação inclui um factor de curiosidade que lhes permite alertar para qualquer invulgaridade que detectem e que não faça parte da sua missão exploratória. 

Os robots começaram a ser testados no terreno em 2015, embora a tecnologia para a criação de robots autónomos tenha sido inventada em 2002. Estas máquinas extremamente avançadas são programadas para recolher o maior número de dados possível e para detectar as características do ambiente que os rodeia, como o tipo de peixes, crustáceos, corais e sedimentos com que se cruzam, bem como quaisquer anomalias, tendo os programadores incluído um algoritmo que na prática os torna "curiosos", daí a sua alcunha.

Antes desta inovação os robots subaquáticos tinham que ser manuseados remotamente por um humano ou cingiam-se meramente a uma tarefa pré-definida, algo que os cientistas, engenheiros e estudantes da WHOI conseguiram ultrapassar graças ao seu esforço contínuo para desenvolver novas teorias, testá-las e construir novos instrumentos marítimos que nos permitam recolher dados dos vastos e desconhecidos oceanos. 

A WHOI trabalha em todos os oceanos do mundo estudando a actividade geológica nas profundezas da Terra, a flora e a fauna marítimas, a erosão costeira, a poluição do mar e os efeitos das alterações climáticas, trabalhando em parceria com instituições como a Fundação Nacional Para a Ciência.

Até à data a WHOI produziu oito robots diferentes, sendo que apenas um deles, o Halvin, é um submersível tripulado que lhes foi cedido pela Marinha dos Estados Unidos em 1964. As restantes séries foram baptizadas de Remus (robot autónomo em forma de torpedo), Sentry (capaz de transportar sensores mais delicados), Jason (ainda de controlo remoto, utilizado também para explorar navios afundados), Nereus (que tanto pode operar autonomamente como acoplado a outro veículo), SeaBED (mais apropriado para recolher imagens detalhadas tanto ópticas como em sonar), Gliders (também em forma de torpedo, mas menos potentes que os Remus) e os Argo (3.000 unidades de tamanho reduzido que recolhem dados acerca da salinidade e temperatura da água).

A criação deste tipo de robots captou a atenção do Fórum Económico Mundial, que a apodou de "revolução industrial", dada a necessidade contínua de matérias-primas e formas de alimentação renovável. Recordando que 71 porcento da superfície da Terra se encontra coberta por água, quantos filões não estarão ainda por desvendar? 

À medida que os cientistas aprofundam cada vez mais os conhecimentos de robótica, inteligência artificial e de monitorização por satélites, essa tecnologia tornar-se-á cada vez mais acessível e uma realidade em todos os países industrializados. 

O corpo humano ainda não dispõe de equipamentos que o protejam a altas profundidades. A criação e aperfeiçoamento destes robots autónomos que conseguem detectar anomalias dignas de investigação sem a necessidade de uma programação prévia ou de um controlo remoto humano, são enorme avanço na descoberta da maior parte do nosso planeta.

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • 295bda17-c5e4-458f-995f-62c4ac1da40e

    Food & Beverage

    Jul 1, 2017

    Comer inteligentemente

    O foodpairing é um método científico moderno que tem servido para saber quais os sabores que combinam melhor uns com os outros. Este método tem por base o princípio de que os alimentos combinam melhor quando têm determinadas...

  • 16788830_1399804646759626_4686884977315414016_n

    Food & Beverage

    Jun 1, 2017

    É QUEIJO, MAS TAMBÉM IOGURTE

    Ok, é queijo e chamam-lhe iogurte. Por nós, está tudo bem, até porque parece iogurte, de facto. Regularmente, surgem nos mercados dos alimentos destinados a desportistas, novos produtos e suplementos alimentares que prometem maravilhas. 

    ...

  • cowrok

    Business & Industry

    Set 19, 2018

    Cowork

    Escritório onde e quando quiser


    Ao longo dos últimos 20 anos, o paradigma do trabalho tem vindo a sofrer imensas e radicais alterações, fruto de vários fenómenos estruturais, económicos, tecnológicos...


  • 2073dd46294295.584f22e2a1d29

    Culture & Art

    Abr 1, 2017

    REINVENTAR O DOMINÓ

    Todos os jogos têm, de alguma forma, a sua personalidade própria. Alguns jogos têm uma vida curta porque nascem numa certa época ou a partir de uma tecnologia. É o caso dos video-jogos, jogos de arcada ou de computador. Outros,...

  • 2_10_17acapulco3

    Luxury & Fashion

    Abr 1, 2017

    ADIDAS ACAPULCO - WALK THIS WAY

    Quem se lembra de Run DMC? E de Stan Smith? E quem não conhece a Adidas? O que têm em comum a famosa marca das três faixas e os nomes acima mencionados? Os gloriosos anos 80.

  • 6120ee_380c3a7c8b5b4d3db31ca50125ff7f7b~mv2_d_4657_3264_s_4_2.jpg_srz_1081_758_85_22_0.50_1.20_0.00_jpg_srz

    Sport

    Mar 1, 2017

    RUGBY EM CADEIRA-DE-RODAS - NUNCA DESISTIR

    Poderíamos imaginar que o rugby é um jogo demasiado físico, para ser praticado por pessoas com deficiência. Bem, com crianças seria o mesmo, mas elas adoram. As pessoas com deficiência não são flores e, com a postura correcta...


  • Hybrid Glider

    Technology

    Abr 1, 2015

    The hybrid glider is coming to town

    Glider flying rates high on the scale of sport flying. However, the nature of the beast is that it requires more than one person to get a glider launched into the air. To make launching a non-team effort, the answer has been a powered...

  • black-opal-Daniel-Mekis

    Business & Industry

    Jun 1, 2015

    All the colours at once

    Opals are amongst the most beautiful stones in the world, and are one of the few types of precious gemstones. While diamonds, rubies, sapphires, emeralds and pearls have their own color, nonetheless wonderful, with opals you have all...

  • 1

    Business & Industry

    Jun 1, 2015

    The finest optics

    The history of BelOMA starts back in in 1957 with the establishment of Minsk Mechanical Works. In view of expansion of production volume and nomenclature of the products being manufactured, in 1971 the Belarusian Optical and Mechanical...