Business & Industry

Dez 1, 2017

BILIÕES DE EUROS EM MOVIMENTO

Bolas, estrelas, grinaldas cintilantes, anjos, sinos, bonecos de neve, fitas, pinhas, entre outros variadíssimos enfeites e luzes, fazem da árvore de Natal o elemento central de toda a decoração natalícia. Uma indústria que emprega milhares de trabalhadores e movimenta milhões de euros.

Por SAMIR NABIL

É Natal. Família reunida, árvore montada, ceia servida... os presentes não chegam a ser tão importantes, certo? Errado. Para a maior parte dos entrevistados de uma pesquisa da agência McCann, Natal sem presentes não é Natal. Segundo o estudo, as lembranças entregues a familiares e amigos consomem o tempo, dinheiro e paciência dos consumidores nesta época do ano – muitas vezes, mais até do que a decoração da casa e a própria ceia. Mas, mesmo assim, não podem deixar de existir.

O ritmo de Natal e as festas de final de ano são as datas que mais movimentam o mercado, um verdadeiro cenário de oportunidade de negócios. E é neste período que pessoas utilizam os "motores de busca" para encontrar o produto ou serviços que as empresas oferecem, um cenário perfeito de oportunidade para a expansão dos negócios atraindo mais e novos clientes.

Com mais de 2,5 milhões de pessoas entrevistadas em 13 países diferentes, o estudo sobre gostos, costumes e emoções sobre o Natal demonstra que as celebrações dos dias 24 e 25 de Dezembro são vistas como as mais importantes do ano, à frente de aniversários, festa de Ano Novo e até mesmo do Dia das Mães.

Apesar de toda a atenção dada à ocasião, os empresários não devem pensar que os consumidores são ingénuos. De acordo com o estudo, 60% deles vêem o Natal como uma data puramente comercial, na qual se gasta demais. Mesmo assim, ficar sem presentes não é uma opção para a maioria dos entrevistados. 52% deles afirmam: "sem presentes, não há Natal".

Assim, a solução é tomar coragem e enfrentar as ruas e centros comerciais lotados. Esta parte é uma das piores para o consumidor. A maioria acha que comprar presentes é o momento mais angustiante de todas as compras feitas para o dia 24. E uma das mais caras também – só perde para a compra de alimentos. É por isso que 84% dos consumidores preferem comprar itens que estejam em promoção, sendo este o principal factor para que uma compra seja fechada ou não. Em importância, a qualidade dos produtos só aparece depois.

Os locais favoritos são os centros comerciais. Nesses locais os produtos são atractivos e estão em promoção nesta época do ano.

Os filhos são os que recebem mais presentes no Natal, de acordo com a pesquisa. E é com eles que se gasta mais também.  Os parceiros ocupam o segundo lugar, com 29%, seguindo-se os pais e os amigos.

Perante estes dados, alguns analistas de mercado sugerem medidas que podem ser interessantes para as marcas apostarem nesta data. É importante, por exemplo, fazer com que o consumidor não stress durante as compras. E como? Ajudando as pessoas a ter mais informação para decidir o que comprar, e garantir mais segurança numa época cheia de assaltos e ruas cheias, são algumas das medidas apontadas pela agência.

Para os especialistas, o mais importante é não esquecer a essência da data. "É fundamental que as marcas saibam respeitar os símbolos do Natal: família, reunião, alegria, amor, carinho e ir além das promoções. Afinal elas já estão presentes o ano todo", diz o estudo.

CULTO DA FERTILIDADE

A árvore de Natal, como a conhecemos, nasceu no seio dos povos germânicos que celebravam a fertilidade da natureza recorrendo a árvores enfeitadas, a partir do século XVI. Contudo, foi só no século XIX que a tradição decorativa alastrou ao resto da Europa, muito devido à influência da realeza. Um acontecimento que ajudou a espalhar esta tradição foi a própria árvore de Natal montada pelo Príncipe Alberto, marido alemão da Rainha Vitória, no Palácio Britânico, corria o Natal de 1846. Uma gravura da família real junto da árvore, publicada na revista "Illustrated London News", levou a tradição decorativa tão longe como era então o domínio do Império Vitoriano.

Durante o mesmo século XIX, o Rei Dom Fernando II (marido da Rainha Dona Maria II e primo do Príncipe Alberto de Inglaterra) ajudou a proliferar o costume em Portugal, onde a tradição natalícia decorativa mais antiga remontava apenas ao presépio. Com o nascimento dos infantes, Dom Fernando II iniciou festejos e decorações de árvores de Natal bem à moda germânica da sua infância – e hoje ainda se conservam gravuras que ilustram o Rei vestido de São Nicolau, enquanto distribuía presentes em família.

Com o século XX, a chegada da televisão e a indústria publicitária a fazer uso da figura do Pai Natal, decorar uma árvore de Natal passou a ser – mais do que uma tradição – uma verdadeira festa, à volta da qual se reúne a família. A emoção de escolher uma árvore, dispor os enfeites e juntar as figuras do presépio traz consigo até uma espécie de magia, onde cores, sons, luzes, cheiros, brilhos, formas e texturas se mesclam entre as gargalhadas dos mais pequenos e o aroma a canela vindo da cozinha. 

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • epo15_Jonkers-0322_9F0C9396E8DC4F75A713C3D05913F5AB

    Science & Nature

    Jun 1, 2017

    Um salto tecnológico

    Edifícios e estruturas que podem, por magia, regenerar por completo as rachas causadas pela pressão, mudanças de temperatura ou humidade? O que era um cenário de ficção científica apenas há alguns anos é já uma realidade...

  • 348262_1_800

    Lifestyle & Travel

    Jul 1, 2017

    ACAMPAR (REALMENTE) JUNTOS

    Acontece a todos os amantes de campismo. Quando finalmente acabam de montar a mesma tenda que têm há mais de dez anos, acham-na demasiado pequena para arrumar todas as inutilidades que se lembraram de levar.

  • the-cicret-bracelet-a-bracelet-t

    Technology

    Mai 1, 2017

    UM SMARTPHONE À FLOR DA PELE

    Ver emails ou assistir a um filme são gestos cada vez mais fáceis de executar. Que dependam de um simples toque na pele é que custa a acreditar. Tal é possível com a "Cicret", uma pulseira inteligente que transmite o visor do...


  • 0-1352400373-expo_spon_01

    Business & Industry

    Ago 1, 2017

    DEBATER O FUTURO DA ENERGIA

    É um dos maiores eventos do mundo e não acontece todos os anos. Essa é uma das razões porque são tão importantes. Mas há outra: os vastos debates que cada uma destas feiras mundiais (conhecidas como "Expos") trazem à luz e...

  • 2014-10-20 14.14.49

    Home & Design

    Mai 1, 2017

    JARDINS DO FUTURO

    Se gosta de verde, prepare o coração, pois os jardins do futuro são de tirar o fôlego e vão estar por toda a parte. Do cantinho na varanda, à cozinha, sala de estar, área de serviço, quintal e, sobretudo, nas cidades e nos...

  • ApisCor_febr_03

    Technology

    Mai 1, 2017

    Como se fosse magia

    Pare uma expressão figurativa: "casas crescem como cogumelos", mas em breve será literal. EM Fevereiro de 2017, na Rússia, surgiu a primeira casa com 38 m2 de área. A casa cresceu em 24 horas na cidade de Stupino, na região de...


  • Untitled-3

    Luxury & Fashion

    Mar 1, 2017

    ÖGON - SEGURANÇA E ESTILO

    As tradicionais carteiras em cabedal ou plástico, podem parecer muito úteis porque cabe tudo nelas. O problema é que cabem coisas a mais. É um pouco como a mala de senhora, onde até cabem coisas inúteis e outras absolutamente indescritíveis. 

    ...

  • Find everything, anywhere

    Technology

    Nov 30, 2015

    Encontre tudo, em todo o lado

    Estamos sempre a perder coisas. É um problema simples do dia-a-dia que merece uma solução igualmente simples, mas eficiente. Foi por isso que nasceu o Lapa.

    Lapa é um descobridor de coisas como nenhum outro. No entanto, nem...

  • Ink-Jet-System

    Business & Industry

    Dez 1, 2017

    PRÁTICA E ACESSÍVEL

    Já todos vimos aqueles códigos numéricos e alfabéticos aplicados nos produtos que adquirimos diariamente. Além dos códigos de barras, estes incluem um complexo código alfanumérico que dificilmente compreendemos.