Research & Education

Jun 1, 2017

Ciclovias que brilham

Até há relativamente pouco tempo os materiais que brilham no escuro não tinham funções que fossem muito além do prazer decorativo. Mas a luminescência foi conquistando aplicações mais utilitárias e hoje, literalmente, está nas ruas. 

<

As últimas notícias a este respeito chegam-nos da Polónia. Em Outubro passado foi inaugurada em Lidzbark Warminski, uma cidade no norte do país, uma pequena ciclovia que brilha no escuro. Trata-se de um projecto concretizado pelo TPA Instytut Badan Technicznych Sp. z o.o. e consiste na utilização de partículas sintéticas aplicadas sobre o asfalto, chamadas de "luminóforos" – compostas de fósforo – que são "recarregadas" pela luz solar e à noite emitem uma luz azul durante cerca de 10 horas seguidas.

O projecto polaco teve como referência inspiradora uma outra ciclovia, construída entre Eindhoven e Neuenen, na Holanda, em 2015, para assinalar os 125 anos da morte de Vincent van Gogh. Foi baptizada com o nome de "Noite Estrelada" e os seus efeitos pontilhístas luminescentes azuis e verdes dispostos em espirais evocam a pintura do artista. O autor do projecto foi o designer holandês Daan Roosegaarde e a empresa que o concretizou foi a Heijmans. O princípio utilizado aqui parece ser semelhante ao posteriormente utilizado na Polónia – o revestimento do asfalto ainda molhado com uma substância fosforescente - o revestimento fotossensível utilizado, contudo, terá sido outro.

Um projecto suspenso

Antes da "Noite Estrelada" já Roosegaarde e a Heijmans vinham trabalhando em conjunto procurando concretizar o conceito das estradas luminosas. Em 2014 "iluminaram" um troço de cerca de meio quilómetro da auto-estrada N329, em Oss, 100km a sudeste de Amesterdão, recorrendo a esta espécie de tinta fotoluminescente nas faixas que a limitam. O efeito foi o de linhas verdes luminosas que brilham durante oito horas ao longo da estrada como se néon se tratasse.

O designer procurou entender a bioluminescência das medusas num esforço para reduzir a necessidade de dispêndio energético e a pegada ecológica. Mostrou-se surpreendido com as quantias avultadas que são gastas em investigação e desenvolvimento de automóveis em detrimento das estradas que, essas sim, determinam o aspecto da paisagem e chamou à atenção para os crescentes cortes na iluminação rodoviária que os governos têm promovido. Afirmou que este era também um empreendimento que se ocupava da segurança.

Apesar de não ter divulgado o segredo do produto, Roosegaarde afirmou que se trata de uma versão mais evoluída das tintas fluorescentes que, inutilmente, só funcionam por 30 minutos. Prevendo o clima nublado da Holanda, o troço de estrada em questão dispunha de painéis solares que, em alternativa, carregavam artificialmente as faixas luminosas.

O projecto holandês foi, no entanto, suspenso pouco tempo depois. A "tinta" não resistiu às condições de extrema humidade na região e foi sendo apagada pelas chuvas e as faixas luminosas tornaram-se inconsistentes.

Os vários caminhos para a luz

Mas a Heijmans e o designer holandês parecem não ter desistido e dizem estar a trabalhar e a testar uma nova versão do produto anterior. Têm também em vista outros projectos como estradas que carregam carros eléctricos, tintas para os pavimentos para sinais de aviso que apenas surgem em determinadas condições atmosféricas, iluminação das estradas alimentadas pelo vento gerado pela circulação dos automóveis e a instalação de células que detectam a aproximação dos carros e accionam a iluminação da estrada apenas à sua passagem.

Em França, entretanto, um troço de estrada foi revestido com um tipo de asfalto que funciona como painel solar, que permite a sua iluminação e a iluminação pública da povoação mais próxima.

Quanto às estradas luminescentes, os avanços mais significativos parecem vir do outro lado do globo, do México, pela mão do engenheiro e investigador José Carlos Rubio. Este cientista, em conjunto com uma equipa de físicos e químicos, estudou a composição do asfalto e trabalhou na modificação da sua microestrutura de modo a permitir a absorção de radiações ultravioleta pela sílica (componente presente no material). O projecto foi testado, aprovado e 4 mil milhões de toneladas deste produto foram produzidas para comercialização. 

Mais artigos

DestaquesArtigos

  • #1

    Luxury & Fashion

    Out 19, 2018

    HORNSKOV KØBENHAVN

    "Todos conhecemos a importância que uma aparência impecável tem no mundo dos negócios. Cada vez mais, vemos espantosos cortes de cabelo e barba, combinados com belas gravatas e fatos e camisas e sapatos."

  • jak_3

    Luxury & Fashion

    Jun 1, 2017

    Três em um para o ar livre

    Passar alguns dias ao ar livre é um desafio pela quantidade de material que é necessário transportar: a tenda, o saco de cama, roupa adequada à temperatura, utensílios de higiene diária, calçado extra e, se pretender cozinhar...

  • 1

    Helthcare & Wellness

    Nov 5, 2018

    PRÓTESES BIÓNICAS

    "Tal como as dos filmes de "Star Wars", as próteses biónicas têm um aspeto robótico que, com capas de silicone idênticas à realidade, passam quase despercebidas. Através dos sensores de leitura dos movimentos, estas próteses...


  • AdobeStock_29464033 b

    Business & Industry

    Mar 1, 2017

    MIRO FORESTRY COMPANY - MADEIRA, A RIQUEZA ECOLÓGICA

    A madeira como matéria-prima cuja extracção é passível de sustentabilidade através da renovação, e a relação entre custo, qualidade e aproveitamento, faz dela um recurso impar. O seu crescimento em florestas é a melhor...

  • Savory14

    Science & Nature

    Mar 2, 2018

    A DERRADEIRA ARMA

    As grandes pastagens podem ser uma resposta para acabar com as áreas de desertos e amenizar os efeitos do aquecimento global, defende o ambientalista e agricultor zimbabuano, Allan Savory que, em tempos, foi responsável pelo abate...

  • 1

    Business & Industry

    Dez 18, 2018

    AZERBAIJÃO

    O antigo, o novo e o futuro

    " O Azerbaijão é um país que impressiona em vários aspectos e é relativamente desconhecido nos países ocidentais. Partindo desde logo pelo facto de – ao contrário que muitos pensam...


  • Smells, aromas are the essential part of our lives

    Lifestyle & Travel

    Fev 29, 2016

    A Parte Essencial da Vida

    Cheiros e aromas são uma parte essencial das nossas vidas. Um aroma no ar que, por acaso, chega ao nosso olfacto numa multidão é o suficiente para despertar uma lembrança vivida da nossa infância, como a Mãe a perfumar-se de manhã...

  • Manufacturing

    Luxury & Fashion

    Jan 1, 2015

    Portuguese do it better

    Despite the doom and gloom, there is one Portuguese industry that's making great strides: Shoemaking, one of the most traditional and oldest industries in the country, mapping out a new future by exporting its way out of the crisis.

    ...

  • Leather1

    Business & Industry

    Dez 1, 2016

    ESTILO SUL-AMERICANO

    A história ensina-nos que a primeira exportação de cabedais da Argentina para a Europa, foi efectuada por uma fábrica de curtumes em 1790. Por essa altura, a primeira razão para criar gado era o valor da sua pele, a carne era...